sábado, 25 de fevereiro de 2017

---História da Rússia stravés dos selos.Parte 1:Selos no Império Russo



Quando eu era novinha, amava colecionar selos. Possuía muitos, que meu avô, um libanês, me dava, vindos de sua terra, em correspondências que trocava, habitualmente, com sua família, que havia permanecido por lá. Possuía, também, vários selos do Brasil, alguns da Itália, Espanha e Portugal, França, Bélgica, etc, que minhas tias e meu pai arrumavam para mim. Com o tempo, fui largando minha coleção, que se perdeu durante uma das mudanças de casa que fiz, mas meu interesse por eles permanece até hoje, o que me levou a criar este post com selos históricos da Rússia durante o período do Império Russo.Através deles, a gente pode vislumbrar um pouco da história do país.
(Os da União Soviética formarão um post a parte,para um futuro próximo ).

sexta-feira, 24 de fevereiro de 2017

Um pouco de Pushkin: A Perfídia




A Perfídia

Se teu amigo, ao ouvir-te as razões,
Retira-se em silêncio causticante;
Se a mão afasta da que lhe propões,
Como de cobra, a estremecer no instante;
Se ele, cravando em ti o agudo olhar,
Move a cabeça desdenhosamente,
Não digas: "Está louco de pesar:
É, de fato, um garoto, está doente";
Não digas: "Ele é todo ingratidão;
Irado e fraco não merece estima;
A vida, sonho mau, faz-lhe aflição..."
Estarás certo? É a calma que te anima?
Se é assim, dispõe-se ele a morrer
Afim de reconciliar-se cm o amigo.
Porém se da amizade o almo poder
Usavas para afronta iníqua, digo,
Porém se espicaçavas com ardis
Sua imaginação desconfiada,
E eram teus recreios senhoris
Ver-lhe, triste e a gemer, a alma ultrajada;
Porém se foste da calúnia vil
Para o enodoar eco despercebido,
Se grilhões lhe lançaste, e a quem hostil
Lhe era, a rir, o entregaste adormecido,
E ele leu de tua alma na mudez
O oculto, com o olhar cheio de ânsia,
Basta! de frases fúteis não é vez:
Estás julgado em derradeira instância.

(1824)

quarta-feira, 22 de fevereiro de 2017

Masha e o Urso: curiosidades



Fiquei muito tempo sem mexer neste blog e, assim, deixei de responder algumas perguntas que foram feitas, o que estou fazendo aos poucos; algumas delas eram relacionadas ao desenho animado "Masha e o urso", me levando a fazer um post para responder das que julguei mais interessantes, como interessante é o desenho.
 "Masha é uma garota incrivelmente ativa, que não para quieta e que pensa que o mundo todo foi feito só para ela. Curiosa, extrovertida e espontânea, alegre e travessa e adora pirulitos. E dá uma canseira no fiel urso, outrora um urso de circo premiado . Sabe fazer muitos truques e mágicas, aprendidos no circo. É acrobata. Adora paz e vive na floresta. Adora mel, pesca e futebol e possui hábitos humanos.O desenho possui outros personagens, mas os dois principais são a Masha e o "Mishka" (urso), que encanta a todos pela extrema fidelidade dele a ela e extrema amizade que une os dois".

 Masha e o Urso é uma das produções russas mais famosas em todo o mundo e, de acordo com o site "Inosmi.ru", é mais popular do que a Vodka, o gás, o ballet e os jogos.
Aqui no Brasil, pelo que pude constatar, ele faz muito sucesso entre as crianças e uma das perguntas que me fizeram foi: Mishka é o nome do urso?

Literalmente, Mishka, em russo, significa "ursinho", sinônimo da palavra "medved' (urso). Esta palavra também é muito usual na Rússia como nome de animais domésticos, principalmente de gatos (ver em http://zoovet.ru/klichki_kotov.php?letter=%CC e em: http://koshkalu.ru/klichki/kakoe-krasivoe-i-interesnoe-imya-dat-kotenku/ .
Mishka é, também, o diminutivo de Misha, forma carinhosa de chamar as pessoas que possuem o nome Mikhail. Isto posto, nada impede que o urso amigo de Masha se chame Mishka ou que ela assim o chame, como se eu chamasse meu gato de "gatinho", simplesmente.

Outra pergunta feita ao blog se refere ao nome das dubladoras do desenho animado no Brasil. Confesso que eu só conhecia "Masha e o Urso" no original russo e nem imaginava que, por aqui, ele passasse na televisão com dublagem local. Tive que dar uma "googleada" e rapidinho encontrei a informação no site Adoro Cinema: as dubladoras são Maísa Silva (Narradora) e Sílvia Abravanel (Masha). O leitor há de achar o sobrenome Abravanel bem conhecido. É isto mesmo, a dubladora de Masha é a filha do apresentador Sílvio Santos. Filha adotiva de seu primeiro casamento. Este desenho é o único trabalho de filmografia   de Sílvia, de acordo com a Wikipedia. Ela trabalha no SBT como produtora, apresentadora e diretora.


 Quanto à Maísa Silva, trata-se de uma atriz, cantora, modelo, dubladora e apresentadora, descoberta por Raul Gil aos 3 anos de idade e, posteriormente, contratada por Silvio Santos. 

 











Deixo, aqui, um episódio duplado para vocês, mostrando como os dois personagens se conheceram.



Fontes: 
http://www.ufostation.net/name.php?page_id=221 
www.youtube.com -Canal "Masha e o Urso

sábado, 18 de fevereiro de 2017

Um conto da Nova Cartilha de Tolstoi: A tia conta como aprendeu a costurar



(crédito: https://yandex.ru/images/

Em outro post, já tive a oportunidade de falar sobre os "Contos da Nova Cartilha" e o projeto pedagógico de Liév Tolstói. Quem tiver curiosidade a respeito, clique aqui. Hoje, deixo apenas um dos contos que compõem o Primeiro livro de leitura deste fabuloso trabalho do mestre russo, intitulado "A tia conta como aprendeu a costurar", extraído do meu exemplar da obra, editado pelo Ateliê Editorial.

quinta-feira, 16 de fevereiro de 2017

Propaganda Social na URSS Stalinista

 (Tradução do cartaz: "O que se pode comprar para as crianças ao preço de 1 litro de vodka")
Hoje retomo as postagens sobre as propagandas veiculadas na extinta URSS, mais especificamente com as propagandas sociais do período stalinista.

domingo, 12 de fevereiro de 2017

Um pouco de poesia: Ievguêni Ievtushênko


Com base no site http://www.evtushenko.net/, o poeta nasceu no dia 18 de Julho de1833 como Ievguêni Alksándrovitch Ievtushênko, na parada Zimá, região de Irkutsk, Sibéria, filho de Aleksandr  Rudol'fovitch Gangnus e de Zinaída Ermolaevna Ievtushênko. O pai, que viveu de 1910 a 1976, era geólogo, e a mãe, tammbém geóloga, era atriz e personalidade veterana da cultura soviética, também nascida em 1910, mas que sobreviveu ao marido até o ano de 2002.

domingo, 3 de julho de 2016

Da obra de Sirguiey Aksákov: A florzinha escarlate


Este conto, muito popular na Rússia, adaptado para o cinema pela SoyuzMultifil'm, é da obra do escritor russo Sirsuiey Timofeievich Aksákov, surgindo como uma das muitas variantes do tema de "A bela e a fera". O conto foi publicado, pela primeira vez, em 1858.

 Aksákov

sexta-feira, 1 de julho de 2016

Dicionário de Parônimos da Língua Russa

O post de hoje vai para os que se dedicam ao estudo da língua russa: um Dicionário de Parônimos, ou seja, palavras que apresentam significados diferentes, apesar se possuírem grafia e/ou pronúncia semelhantes. E os danados dos parônimos costumam nos confundir, e muito. É preciso ter cuidado para não empregar "gato por lebre", muitas vezes resultando em bobagens que nos fazem passar vergonha.

quinta-feira, 30 de junho de 2016

A verdade sobre a tragédia dos Románov (de Marc Ferro)




(Clique nas imagens, para visualizá-las em tamanho maior)

Todo mundo conhece a "história" da família do último tzar russo, da família Románov, mas será que o que todos conhecemos realmente aconteceu ou aconteceu realmente da forma como sabemos? Ou será que manipularam a história, na defesa de interesses de um dos lados nela envolvidos? A maioria dos historiadores apresenta a história tal como todos nós conhecemos: a família imperial foi assassinada pelos bolcheviques. Mataram todos, do tzar ao tzarievitch, doente de hemofilia; mas tem um historiador francês, Marc Ferro, muito conceituado, um dos principais historiadores da atualidade, que contesta a conhecida versão e apresenta documentos e argumentos provando que a coisa aconteceu de outra forma. 

sexta-feira, 20 de novembro de 2015

Um pouco de história: A URSS e a questão japonesa, por Nikita Kruchtchev


Nosso post de hoje foi extraído das memórias de Nikita Khruchtchev, do capítulo em que fala sobre a diplomacia soviética subsequente ao término da II Guerra, principalmente das questões com o Japão. Suas memórias estão repletas de revelações deste período, mas escolhi justamente o trecho em que fala sobre a questão japonesa; sobre as ilhas Sakhalin;sobre as relações soviéticas com os EUA de Truman e muitos outros temas importantes. 
 

GOSTOU DO BLOG? LINK ME

www.russiashow.blogspot.coms